Jardim Gulbenkian

JARDIM GULBENKIAN

PATRIMÓNIO VERDE DE TODOS NÓS

THE GREEN HERITAGE OF US ALL

“O jardim é algo que nunca termina. Ele é uma criação em permanente evolução”,
disse Gonçalo Ribeiro Telles, em entrevista ao primeiro número do Horto do Campo Grande
Magazine. Dezasseis anos depois, recuperamos as suas palavras como ponto de partida para
a história de um espaço emblemático, ligado ao percurso do arquitecto paisagista e à vida de
muitos portugueses. Acompanhe-nos nesta visita ao Jardim Gulbenkian. //

“The garden is something that never ceases. It is a permanently evolving creation”, said Gonçalo Ribeiro Telles in an interview for the first issue of Horto do Campo Grande Magazine. Sixteen years later, we recover his words as a starting point for the history of an emblematic space, linked to the landscape architect’s path and to the life of many Portuguese. Come with us on this visit of the Gulbenkian Garden.

Por entre árvores e estátuas, um grupo de crianças brinca às escondidas. Junto ao lago, alguns amigos piquenicam animadamente, enquanto, no anfiteatro, há quem aproveite a hora de almoço para pôr a leitura em dia ou simplesmente descontrair. Uma família de patos passeia-se pelo relvado, seguida pelos olhos atentos de um bebé, ao colo da mãe. E pelos recantos abrigados, casais namoram e fazem promessas que o tempo irá testar.

Among the trees and statues, a group of children play hide-and-seek. By the lake, some friends are having a lively picnic, while, in the amphitheatre, some take the opportunity to catch up on their reading or simply relax at lunchtime. A family of ducks strolls across the lawn, followed by the watchful eyes of a baby on its mother’s lap. And in the sheltered corners, couples flirt and make promises that time will test.

Estamos no jardim da Fundação Calouste Gulbenkian, um lugar de lazer, cultura e natureza, que é também um símbolo do movimento moderno em Portugal e uma referência para a arquitectura paisagista nacional. O espaço, tal como hoje o conhecemos, resultou do projecto dos arquitectos paisagistas António Viana Barreto e Gonçalo Ribeiro Telles, elaborado nos anos 60 do século XX e distinguido com o prémio Valmor, em 1975. O plano de reabilitação, cuja execução se iniciou em 2002 e se encontra actualmente na sua fase final, é a etapa mais recente do percurso deste jardim único. Mas a história do lugar e da sua vivência começa bem mais cedo.

We are in the garden of the Calouste Gulbenkian Foundation, a place of leisure, culture and nature, which is also a symbol of the modern movement in Portugal and a reference for national landscape architecture. The space, as we know it today, resulted from a project by landscape architects António Viana Barreto and Gonçalo Ribeiro Telles, drawn up in the 1960s and awarded the Valmor prize in 1975. The rehabilitation plan, which began in 2002 and is currently in its final phase, is the most recent stage of this unique garden’s journey. But the history of the place and its experience begins much earlier.

LUGAR AO LAZER E À CULTURA

A PLACE FOR LEISURE AND CULTURE

A concretização do desejo do empresário Calouste Sarkis Gulbenkian de colocar a sua fortuna em benefício da humanidade, através de uma fundação internacional, com sede em Lisboa, exigia um novo projecto para o espaço.
Um primeiro relatório avalia o coberto arbóreo e propõe medidas de conservação e de regeneração para o coberto vegetal. E enquanto o projecto de arquitectura paisagista, da responsabilidade de Gonçalo Ribeiro Telles e António Viana Barreto, é desenvolvido, uma equipa de jardinagem assume trabalhos como a remoção de entulhos, o melhoramento das condições do solo e a manutenção da vegetação, segundo a estrutura existente. A organização e o carácter do velho parque foram, aliás, determinantes no que de novo se estava a construir. “O Parque de Santa Gertrudes, devidamente restaurado na pujança da sua vegetação, constituirá um dos espaços livres públicos de maior interesse em Lisboa; local privilegiado que certamente atrairá a população e proporcionará à Fundação possibilidades de maior divulgação das suas actividades culturais (…)”, pode ler-se no Programa das Instalações da Sede e do Museu.
Tendo como base uma geometria subtil e fazendo uso da paisagem nacional na sua dimensão ecológica e cultural, a proposta de Viana Barreto e Ribeiro Telles, apresenta um jardim único e novo, feito de espaços e ambientes que nos são familiares. Este é o jardim português moderno no auge da sua expressão.
Trabalhada em estreita colaboração com os arquitectos do complexo de edifícios da fundação, Alberto Pessoa, Pedro Cid e Ruy Athouguia, a concepção dos espaços verdes, ficou também marcada pela inovação das soluções, presente, por exemplo, na drenagem e aproveitamento das águas, no sistema construtivo do lago, na criação artificial do ecossistema húmido das suas margens, na plantação e fixação de árvores sobre laje e na utilização de terraços ajardinados.

The realisation of businessman Calouste Sarkis Gulbenkian’s desire to put his fortune to the benefit of mankind, through an international foundation based in Lisbon, required a new project for the space.
A first report assessed the tree cover and proposed conservation and regeneration measures for the plant cover. And while the landscape architecture project, the responsibility of Gonçalo Ribeiro Telles and António Viana Barreto, is being developed, a gardening team takes on work such as removing rubble, improving soil conditions and maintaining the vegetation, according to the existing structure. The organisation and character of the old park were, in fact, decisive in what was being built again. “The Park of Santa Gertrudes, duly restored in the vigour of its vegetation, will constitute one of the public open spaces of greatest interest in Lisbon; a privileged location that will certainly attract the population and provide the Foundation with possibilities of greater dissemination of its cultural activities (…)”, as can be read in the Programme of Installations of the Headquarters and the Museum.
Based on a subtle geometry and making use of the national landscape in its ecological and cultural dimension, the proposal by Viana Barreto and Ribeiro Telles presents a unique new garden, made of familiar spaces and environments. This is the modern Portuguese garden at the height of its expression.
Built in close collaboration with the architects of the foundation’s building complex, Alberto Pessoa, Pedro Cid and Ruy Athouguia, the design of the green spaces was also marked by innovative solutions, for example, in the drainage and use of water, the construction system for the lake, the artificial creation of a humid ecosystem on its banks, the planting and fixing of trees on a slab and the use of landscaped terraces. 

Artigos à venda Items available na/at Loja das Meias
By Companhia das Cores para/to Horto do Campo Grande Magazine
© Pedro Bettencourt e todas as marcas assinaladas and all brands marked